segunda-feira, 27 de junho de 2016

Os Dez Mandamentos são pra Judeus. Os Frutos do Espirito pra Cristãos.


Apego à tradição sempre vai causar algum tipo de desconforto quando esta for confrontada. Ainda assim, algo não-bíblico deve ser combatido, mesmo que seja desconfortável. A tradição (seja católica ou protestante) nos diz que os Dez Mandamentos são universais. Mas, não há texto Bíblico pra dar suporte a essa afirmação. De fato, todas as leis do Antigo Testamento são pra Judeus. Apenas aquelas que foram repetidas no Novo Testamento são validas pra Cristãos.

sábado, 25 de junho de 2016

Pode o ateísta defender o aborto sem implicar em absurdos imorais?



Existem diversas discussões na internet sobre temas como LGBT, feminismo e aborto. Mas este ultimo é o que mais me intriga quando defendido por ateus. Isso porque, creio eu, um ateu não pode defender o aborto de forma consistente. Isso pode ser visto quando o ateu se dispõe a dizer que o feto não é um ser humano ou um ser vivo, mas sim um amontoado de células.

Agora, pense sobre isso comigo: Se o fato do feto ser um monte de células justifica o aborto, então o assassinato de qualquer ser vivo, da perspectiva ateísta, esta justificado. Isso porque na visão ateísta, todo ser vivo é, na verdade, um monte de rearranjo de partículas. Agora, pode ser respondido que os seres vivos interagem e tem sentimentos. Porem, no fim, isso não passa de um mero enfeite descartável. O ser humano ainda assim será um amontoado de partículas, e não é sentimento que mudará isso. Um assassino poderia usar a mesma justificativa do abortista. No fim, se o naturalismo for verdade, não existe absolutamente nada que da valor moral à vida. Não há nada que de um valor ultimo ao ser humano. Somos apenas isso: abortos da natureza. Meros frutos do acaso, sem valor, em um universo em expansão. Não há nada errado no assassinato se não houver nada errado no aborto. Em ambos os casos, é a morte de um monte de partículas inúteis. O assassino não faz nada errado se o abortista também não estiver fazendo nada errado.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

O Jesus histórico falou sobre o inferno?


Teria o Jesus histórico falado sobre o inferno? Ou foram apenas comentários feitos por Mateus, Marcos, Lucas e João? Não apenas dizer que foram comentários dos evangelistas é um sinal de hiper ceticismo (o que eles não fariam com outras fontes históricas), como também pode ser refutado se usarmos os critérios de historicidade com as afirmações de Jesus. (Hiper ceticismo com relação à Bíblia é comum, mas eu duvido que esses céticos usariam esse critério pra dizer que qualquer outro personagem da história não tenha dito “tal coisa” só porque foi escrito por outra pessoa.)

domingo, 12 de junho de 2016

Respondendo Comentários #7 - Argumento cosmológico e o relativismo


A leitura Luísa comentou nos textos “Defendendo o AC Kalam – A objeção de Hawking” e “Podem relativistas fugir de seus paradoxos auto refutáveis?” No texto do argumento cosmológico kalam, ela comentou:

Isso não prova que seja o cristianismo, e as outras religiões ?

Já no texto sobre o relativismo, ela escreveu:

Se não há relativismo, então há o absoluto, e deve haver provas para o mesmo.
Prove que fazer sexo antes do casamento seja errado.
Outras religiões dizem que não há problema nisso, portanto, você mesmo caiu em um relativismo.

Prove que as outras religiões são falsas.
Prove que divorciar seja errado, Prove que homossexualidade seja errado.
Tudo o que você fez foi usar raciocínio lógico para invalidar os argumentos, sendo que religião é algo completamente subjetivo.
Ressurreição de Jesus, ok, também houve outras ressurreições, basta pesquisar.
Isso não prova a existência de céu inferno eternos

Agora, se você acompanha meu blog, saberá que eu já respondi à quase tudo isso ai. Porém, vamos em frente...

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Podem Relativistas fugir de seus paradoxos auto refutáveis?



A resposta para o título é Não. Mas, como esse texto tem que no mínimo ser algo interessante, acredito que seja importante explorar mais do relativismo e mostrar porque pessoas como Nietzsche e Tico Santa Cruz contradizem a si mesmas o tempo todo. Então, no texto de hoje, vamos ver os paradoxos que o relativismo causa, e porque não da pra fugir deles. Alem de mostrar porque relativistas estão errando o alvo, e sempre vão errar, até que essa idéia imbecil e obviamente falsa acabe.