sábado, 28 de maio de 2016

Se Richard Dawkins estiver certo, então Deus existe


Richard Dawkins é uma comédia quando fala de Deus. Já não bastava ele se contradizer, seu "argumento central", que é um piores argumentos contra a existência de Deus já pensados, na verdade, se tiver sucesso, mostra que Deus deve, de fato, existir.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

A Ressurreição de Jesus #11 - O que a ressurreição confirma?


O que a ressurreição de Jesus significa? É apenas mais uma pessoa que ressuscita na Bíblia, ou tem um significado maior? O Cristão vai declarar que a ressurreição física de Jesus confirma tudo o que Ele disse como sendo a verdade. Como dito em outros textos, Jesus ensinou que era Deus. Mas não apenas com seus dizeres, mas também com uma cristologia implícita em suas ações. O cético pode apontar que há outras ressurreições na Bíblia, e por isso a ressurreição de Jesus não deve ter um grande significado. E lidaremos com isso hoje também.

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Pode o Cristão comer a “carne proibida” do Antigo Testamento?


Esse seria um tópico de pouquíssima importância, se não fossem as seguintes afirmações:

“E nós, para podermos entrar na pátria celestial, necessitamos de uma preparação maior que a dos Judeus (que se alimentavam de carne) para entrarem na Canaã terrestre. Nesta preparação, devemos, portanto, nós os que vivemos no tempo do fim, abster-nos do alimento cárneo com maior razão que eles” (Livro: “A Carne e a Saúde”, p.126)

“Se Deus quiser que Seu povo se abstenha da carne de porco, Ele os convencerá a respeito desse assunto.” (Ellen White, Testimonies, vol. 1, págs. 206 e 207)

Precisa adotar a reforma de saúde em sua vida; negar a Vendendo os direitos de primogenitura si mesmo e comer e beber para a glória de Deus. Abstenha-se dos desejos carnais “que combatem contra a alma”. 1 Pedro 2:11. Você necessita praticar a temperança em todas as coisas. Eis uma cruz que você tem evitado. Restringir-se a um regime alimentar simples, que o conservará nas melhores condições de saúde, é a tarefa que lhe cabe. Se houvesse vivido à luz que o Céu permitiu brilhar sobre seu caminho, muito sofrimento poderia ter sido evitado em sua família. Sua conduta trouxe o seguro resultado. Enquanto você continuar nesse rumo, Deus não visitará nem abençoará de modo especial sua família e não realizará um milagre para poupá-lo do sofrimento. Um regime simples, livre de condimentos, de alimentos cárneos e gorduras de toda espécie, se demonstraria uma bênção para você e pouparia a sua esposa muito sofrimento, aflições e desalento. (Ellen White, Testemunhos para a Igreja 2, p. 45,46)

“Entre os que estão aguardando a vinda do Senhor, o comer carne será afinal abandonado; a carne deixará de fazer parte de sua alimentação.” (Ellen White, Conselhos sobre Regime Alimentar, p. 324)

Fica claro que para dona White (e outros, já que a primeira citação não é dela) o Cristão verdadeiro tem que parar de comer carne. Ela esta incorreta? Sim.

terça-feira, 17 de maio de 2016

A Ressurreição de Jesus #10 - Ressurreição física ou espiritual?


Ressurreição física ou espiritual? Alguns críticos do Novo Testamento tentam argumentar que os discípulos tiveram experiências com uma ressurreição espiritual de Jesus, e que a linguagem usada no Novo Testamento é simbólica. Algumas seitas pseudo-cristãs, como o Espiritismo, adoram essa visão, enquanto as Testemunhas de Jeová, para explicar a ressurreição com sua doutrina holística de não-tem-alma-não, creem que Deus destruiu o corpo de Jesus no sepulcro e que o recriou com um novo corpo.
Essa ultima teoria não será comentada por duas razões obvias: Primeiro, não existe evidência alguma em parte alguma do Novo Testamento, nem nos apócrifos e nem nos escritos dos Pais da Igreja. Segundo, claramente é uma teoria ad hoc apenas para defender doutrina. Então, sorry folks, mas saiam da seita e sejam salvos.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

A Ressurreição de Jesus #9 - A Objeção de Bart Ehrman: Milagres são improváveis?


Essa objeção é constantemente feita pelo historiador Bart Ehrman, que diz que historiadores não podem falar se um milagre aconteceu ou não, já que historiadores não tem acesso ao sobrenatural.  Ele diz que, “porque historiadores podem apenas estabelecer o que provavelmente aconteceu, e um milagre desta natureza [da ressurreição] é altamente improvável, o historiador não pode dizer que ele provavelmente ocorreu.” (Bart Ehrman, The Historical Jesus, Part II, p. 50.)
Em seu debate com William Lane Craig, ele formula uma variante do argumento de David Hume, dizendo que milagres são altamente improváveis. Ele diz:

“Historiadores podem estabelecer apenas o que provavelmente aconteceu no passado, e por definição um milagre é a possibilidade mais remota a se considerar. Sendo assim, pela natureza do canons da pesquisa histórica, nós não podemos reivindicar historicamente que um milagre provavelmente aconteceu. Por definição, a ressurreição provavelmente não aconteceu. E a história pode estabelecer apenas o que provavelmente ocorreu.” (Reasonable Faith, Existem Evidências Históricas para a Ressurreição de Jesus? Craig-Ehrman debate, online em http://www.reasonablefaith.org/portuguese/existem-evidencias-historicas-para-a-ressurreicaeo-de-jesus-craig-ehrman acesso 12 de maio de 2016)

Então, basicamente, já que a experiência humana nos diz que pessoas não ressuscitam dos mortos, muito menos para um corpo imortal, a ressurreição de Jesus é uma explicação altamente improvável.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Poderíamos usar Isaías 28:13 como principio de hermenêutica?


Poderíamos usar Isaías 28:13 como principio de hermenêutica? Quer dizer, pegar um pouco dali e um pouco daqui pra tentar interpretar corretamente as Escrituras? Vejamos a parte que os adeptos a esse “principio” citam:

Por isso o Senhor lhes dirá: "Ordem sobre ordem, ordem sobre ordem, regra e mais regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali..." - Isaías 28:13a

Alguns Adventistas do Sétimo Dia podem usar esse meio-verso para justificar as suas “escolhas” de textos da Bíblia, ignorando o contexto, apenas para dar suporte às doutrinas ensinadas por Ellen White. Alguns outros grupos também utilizam esse texto como “texto-base” de hermenêutica. Existem, porém, problemas sérios com isso. Em primeiro lugar, abre portas para uma série de heresias. Por exemplo, poderíamos pegar o seguinte texto isoladamente:

Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou;
A quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz;
Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre.
Hebreus 7:1-3

Veja só: Melquisedeque significa “rei de justiça”, e “rei de Sálem” é “rei da paz”. Sendo sacerdote do Deus Altíssimo também. Sem pai, nem mãe e nem genealogia. Ora, Jesus é tudo isso. Logo, a conclusão espirita de que Melquisedeque é a reencarnação de Jesus tem sustento. Ou, poderíamos usar esse texto para concluir que Melquisedeque é um outro nome de Jesus, assim como fazem com o Arcanjo Miguel. Porem, em contexto, ao chegarmos no versículo 15, nós lemos:

E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote. - Hebreus 7:15

Com esse versículo, vemos na verdade que Jesus e Melquisedeque são pessoas distintas, sendo Jesus outro sacerdote, semelhante. O texto esta falando em sentido comparativo. Mas, com o “principio hermenêutico” de Isaías 28:13, deveríamos considerar aquele pedaço e tentar interpretar o contexto de outra forma, ou ignora-lo.*
O segundo problema é que, não surpreendentemente, esse versículo esta incompleto. Não é nem ao menos o versículo completo que é usado. Pois o versículo completo bota em cheque o uso desse principio como base hermenêutica:

Por isso o Senhor lhes dirá: "Ordem sobre ordem, ordem sobre ordem, regra e mais regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali", para que saiam, caiam de costas, firam-se, fiquem presos no laço e sejam capturados.
Isaías 28:13

Então, se considerarmos o versículo todo, ele esta alertando contra essa pratica. Dizendo que quem praticar isso, vai cair de costas, se ferir e ficará preso.
Em suma, não devemos usar como base para interpretação das Escrituras textos fora de contexto escolhidos apenas para favorecer doutrinas pressupostas. Tal “técnica” abre espaço para uma série de problemas de interpretação, além da Bíblia nos alertar contra isso. 

*Esse ponto foi feito pelo Pr. Thomas Tronco em seu debate com o Pr. adventista Marcos Alves, no tema "Jesus é Miguel?" do programa Vejam Só. Link: https://www.youtube.com/watch?v=5J2BNdXSg08 [1:05:38]

segunda-feira, 2 de maio de 2016

A Ressurreição de Jesus #8 - Objeção: Os Evangelhos possuem contradições?

http://www.gospelclearinghouse.com/wordpress/the-new-testament-revised

Outra objeção comum que vemos na internet e em alguns debates com leigos, é o de que os evangelhos possuem contradições, e por isso não podem ser cridos. De fato, não só tal objeção invalidaria uma serie de documentos históricos, como também é baseada em uma leitura superficial, e as “contradições” ajudam a estabelecer a credibilidade dos documentos.